Tradições de Ano Novo pelo mundo

Quais as tradições de Ano Novo mais curiosas? As tradições de passagem para o Ano Novo revelam-se diferentes um pouco por todo o mundo, mas todas prometem apostar nos desejos de saúde e prosperidade para o novo ano. Aqui partilhamos uma lista de algumas tradições de vários países. 

S. Basílio é o pai Natal na Grécia

As pessoas juntam-se em grupos e cantam cânticos de Natal e tocam triângulo de porta em porta. Uma das canções tradicionais da Grécia é a Kalanda. É um costume em todo o país e as pessoas acreditam que dá sorte receber a visita de um grupo de cantores.  

Depois do Natal, as crianças aguardam impacientes o Ano Novo, porque é quando S. Basílio, o Pai Natal grego, vem trazer os presentes. Na Grécia é costume trocar prendas no Ano Novo e não no dia de Natal. 

Os gregos dão as boas-vindas ao Ano Novo comendo vasilopita, uma espécie de pão doce. Comido à meia-noite em honra de S. Basílio, segue uma tradição: começa-se por servir o membro mais velho da família e o dono da casa corta uma fatia para o santo e outra para os necessitados. Colocam uma moeda no doce e a pessoa a quem calhar essa fatia onde está a moeda, terá boa sorte.

Outro costume é esmagar uma romã na entrada da casa. Desde tempos antigos que a romã é considerada um símbolo de fertilidade, prosperidade e regeneração. É uma tradição das famílias gregas pendurarem uma romã na entrada principal da casa, e algumas esmagam o fruto à soleira da porta para uma dose extra de sorte. Algumas pessoas pedem na igreja local para abençoar as romãs antes de as pendurarem em casa. 

Passagem de ano livre de preocupações na Rússia

Há uma expressão na Rússia que diz: “A forma como passas a passagem de ano é a forma como vais passar o resto do ano” (Как Новый год встретишь, так его и проведешь). Por isso, no último dia do ano, os russos procuram estar livres de preocupações e imbuídos de espírito festivo. É aconselhável perdoar zangas, pagar as dívidas e limpar a casa para começar o novo ano feliz e limpo. Muitos russos fazem sauna ou tomam um banho quente no dia 31 de dezembro para limpar o corpo.

À meia-noite há fogo de artifício nas principais cidades e os sinos tocam durante um minuto. As pessoas bebem champanhe, pedem um desejo e brindam com a família e amigos exatamente quando o relógio bate as 12. É preciso prática para dominar esta técnica ao segundo!

Lentilhas na Itália 

Comer lentilhas na véspera de Ano Novo é augúrio de um ano cheio de riqueza e abundância, dizem os italianos. A tradição provavelmente provém do facto de as lentilhas terem o formato de pequenas moedas e possuírem valor nutritivo.

As lentilhas são frequentemente acompanhadas de cotechino (linguiça de porco feita com a pele e carne da bochecha, pescoço e ombros do porco) ou zampone (pé do porco recheado com carnes de porco frescas e especiarias), O porco é escolhido por ser uma carne gorda e “rica” e associa-se à riqueza esperada no próximo ano.

A tradição de dar um beijo à meia-noite na passagem de ano é celebrada um pouco por todo o mundo. No entanto, na véspera de Ano Novo, a Piazza San Marco, em Veneza, enche-se de milhares de habitantes locais e turistas para verem o fogo de artifício e para darem «um beijo em Veneza».

Outra tradição é sair de casa no dia 1 de janeiro com algum dinheiro no bolso, pois traz coisas boas e promete um ano cheio de riquezas. Também é um bom presságio encontrar um velho ou um corcunda, porque o velho está associado a uma vida longa e o corcunda traz boa sorte.

Novo Ano Chinês

O Ano Novo chinês é conhecido como o Festival da Primavera. A sua chegada é determinada pelas fases da Lua e cada ano é dedicado a um dos 12 animais do zodíaco. Normalmente o Ano Novo chinês pode ocorrer entre 21 de janeiro e 20 de fevereiro. Em 2021 assinala-se dia 12 de fevereiro e é o ano do boi.

O Festival da Primavera apareceu como uma cerimónia para rezar aos deuses e pedir uma boa colheita. As pessoas na China também rezam aos seus antepassados, que se juntam aos deuses. 

Segundo a lenda, havia um monstro chamado Nian que aparecia sempre na véspera de ano novo. As pessoas escondiam-se assustadas nas suas casas, até que um rapazinho foi suficientemente corajoso para o enfrentar, usando foguetes. No dia seguinte, as pessoas festejaram a vitória sobre o monstro lançando foguetes, e assim nasceu o hábito de lançar foguetes na passagem do ano. Os chineses acreditam que fazer barulho ajuda a afastar os espíritos malignos e a atrair a boa sorte. Por isso o Festival da Primavera está repleto de luz, cor e barulho. As ruas são decoradas e as pessoas vestem-se de vermelho, cor associada à prosperidade e boa sorte. 

Durante o Ano novo é proibido cortar o cabelo, utilizar objetos cortantes como tesouras e facas, discutir, amaldiçoar, dizer palavras de azar (como morte ou doença) e partir coisas. 

Colômbia e as três batatas

Na última noite do ano, os colombianos colocam três batatas – uma descascada, uma com casca, e uma meia descascada – por baixo da cama. À meia noite tiram uma batata à sorte e aquela que calhar, é prenúncio do próximo ano. Descascada quer dizer que vão ter problemas financeiros, com casca indica abundância, e meia descascada, ficam algures no meio. 

12 uvas na passagem de ano em Espanha

Em Espanha, há uma tradição de comer uvas na ceia da passagem de ano. As pessoas têm de comer as 12 uvas enquanto tocam as 12 badaladas do relógio, à meia-noite. Quem conseguir comer todas neste tempo, terá sorte e prosperidade no novo ano. Nas casas, as famílias acompanham as badaladas pela televisão, que transmite, a festa mais conhecida e famosa de Nochevieja da Espanha, as Campanadas de la Puerta del Sol, em Madrid. Ali, milhares de pessoas concentram-se em frente ao relógio da Real Casa de Correos, sede da Comunidade de Madrid, para fazer a festa.

Também em Espanha se recomenda vestir uma peça de roupa vermelha, para atrair a sorte e o amor. Antes da ceia da Nochevieja, manda a tradição escrever três desejos para o novo ano num papel, deixá-lo junto ao corpo durante a refeição, e quando já for ano novo, queimá-lo, para que se realizem. 

Noodles à meia-noite no Japão

Na maioria dos lares japoneses, à meia-noite do Fim de Ano, as famílias reúnem-se e comem massa soba, confecionada com trigo sarraceno, para se despedirem do antigo e receber o novo ano. Esta tradição remonta ao século XVII e os longos fios de massa simbolizam longevidade e prosperidade. Toshikoshi soba, ou noodles do Ano Novo, é um prato que se tornou tradição devido a um templo budista ter dado soba (noodles) aos pobres na véspera de ano novo, segundo conta a lenda. O seu formato fino e longo também é sinónimo de uma vida longa e saudável. No entanto, servem um propósito de forma prática: como a maioria dos Japoneses peregrina até ao templo à meia-noite, estes noodles de trigro sarraceno são ideais para um snack a meio da noite ou de madrugada.

Agora que já descobriu alguns costumes associados à boa sorte para o novo ano, porque não experimentar um deles? Desejamos umas ótimas entradas em 2021!